Do quê vive esse atelier?

2.03.19

Bem, esse atelier vive de tantas emoções, sentimentos, sonhos e ações que não cabe descrever num post. Eu tenho um roteiro, mas rotina acredito que não tenho. Porque nem tudo sai como planejado. Por isso digo que tenho um roteiro. Embora algumas tarefas sejam realizadas diariamente, nem sempre elas acontecem da mesma forma. E isso é bom, faz a gente ampliar os horizontes.

Sempre gostei do “feito à mão” e sempre me encanto com as infinitas possibilidades de se produzir algo com as mãos. E esse encantamento me motiva a sempre seguir à diante, buscando o aprimoramento. Quando o resultado final é atingido, outras possibilidades se apresentam e começa tudo de novo. Um eterno recomeço que nos ensina muitas coisas, que agrega, enriquece, fortalece…

Por quê desse textão? Só pra mostrar os resultados que venho tendo com os pães de fermentação natural que estou fazendo há 8 meses. Muita evolução desde o início dessa caminhada. Não cheguei onde quero mas os resultados têm me motivado a não desistir. E se eu puder dar um conselho, digo para você não desistir (seja lá o que esteja fazendo). Pare, se for o caso, para tomar um fôlego e continuar sua caminhada. Te garanto que vale à pena curtir esse processo entre a linha de largada e a de chegada!